HELEUSA FIGUEIRA CÂMARA, UMA PESSOA ESPLENDOROSA, por Zé Raimundo Fontes

 Zé Raimundo Fontes(*)

 

Foto: Rafael Flores

Foi com imensa tristeza que recebi a notícia do falecimento da querida amiga, Professora Heleusa Câmara. Imaginei que ela logo se recuperaria, quando informado do seu internamento. Mas os Deuses, nas suas infinitas formas de agir, às vezes nos surpreendem, como agora, nos subtraindo do convívio terreno uma  das mais raras e especiais de suas criaturas.

Sinto-me privilegiado e agraciado por ter desfrutado de sua amizade durante longos anos, tempo em que compartilhamos, com amigos e familiares, momentos de alegria de estar-juntos, do fazer educacional, intelectual, de lutas e realizações profissionais e na vida pública.

Era uma pessoa especial, “esplendorosa”, como a tratou o Prof. Pedro Gusmão, certa ocasião ao convidá-la  para compor a mesa de um evento da Reitoria da UESB, sendo ela Vice-Reitora e ele Reitor, justificando tal qualificativo porque não encontrara outro que pudesse traduzir as suas qualidades pessoais e profissionais.

Essa será sempre a lembrança que, acredito, todos os que tiveram a graça da sua companhia  guardará: uma mulher, um  ser humano, uma educadora, uma pessoa radiante, resplandecente, fulgurante, magnífica. Nela tudo era brilho: o olhar, o sorriso, o semblante, as ideias, as palavras, os gestos, os atos, o viver.

Ao lado do cuidado com a vida familiar, colocou a sua inteligência, a sua cultura, os seus conhecimentos, a sua força e capacidade de ação simbólica para a persuasão, para a conversão, para formar pessoas, no sistema educativo e na vida real, de modo que elas pudessem ser mais livres, autônomas, criativas e construtoras de seus próprios caminhos.  Como uma verdadeira cristã, foi sempre uma aguerrida defensora da liberdade do ser e do fazer educacional; da vida intelectual e acadêmica; dos direitos humanos e da diversidade sociocultural; da proteção e respeito às reivindicações indentitárias, aos menos lembrados pela sociedade. Possuía uma solidariedade ativa com os próximos e também com os distantes, os “esquecidos”.

Esses atributos podem ser testemunhados por quem com ela conviveu em diferentes espaços sociais na sua rica  e singular trajetória de vida, como eu, nos muitos anos de docência, na UESB; na gestão da Secretaria Municipal de Educação, entre 1997 e 2000; no Proler; nas tertúlias intelectuais e poéticas; nas horas de lazer, com a família e amigos no Changrilá,  entre tantas outras vivências.

Por certo, seus ensinamentos, seus valores, sua filosofia de vida e a sua forma de conceber a nossa presença na terra continuarão a servir de guia para todos os seus familiares, amigos e ex-alunos.

Para mim será sempre inesquecível.
Os céus ganharam mais uma estrela e a terra ficou com um brilho a menos.
Que a saudade nos conforte e ative, permanentemente, a sua  lembrança.
—————————————
(*) Professor fundador da UESB, Doutor em História(USP)e Mestre em Ciências Sociais(UFBA), ex-Prefeito de Vitória da Conquista e, atualmente, é Deputado Estadual, PT- Ba.



Artigos, Bahia, Conquista, Cultura, Destaques, Educação, Política, Vitória da Conquista

Comentário(s)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *