No escorregão, deu mengão…

Por Ubaldino Figueiredo

13303775

Quando a maré está boa, barco à deriva chega a porto seguro. O Flamengo vinha de uma campanha fraca, sem um time definido, elenco limitado, ocupando as últimas colocações no brasileirão; não é que surge uma solução doméstica e, encontra um timoneiro que consegue conduzir o barco por mares bravios, o Jayme de Almeida, com seu jeito simples e conhecedor dos bastidores do Clube, usando sua experiência e sabedoria, está singrando os mares antes turbulentos. Nos últimos jogos, tanto pela Copa do Brasil, quanto pelo brasileirão, mesmo ocupando ainda a 11ª colocação, o Flamengo vem superando a adversidade e, ajudado pela juventude de seu elenco, tem feito a alegria de seus torcedores.

Ontem, diante do Goiás, pela Copa do Brasil, se impôs e conseguiu um triunfo, mesmo que ajudado pela sorte, pois no segundo gol do time carioca, com o campo molhado, o erro da arbitragem em marcar uma falta que seria contra, e o escorregão do goleiro Renan, lhes deram uma vantagem, considerável, para o próximo jogo. Sentindo a falta do seu principal jogador, o gordinho Walter, o Goiás não teve facilidade para impor seu mando de campo, diante de mais de 37 mil torcedores e perdeu a primeira partida das semifinais da Copa.

 

O Flamengo abriu o placar aos 25 minutos do primeiro tempo, em uma bela jogada do Paulinho, o que despertou o time goiano, então, se vendo inferiorizado no placar, começou a buscar o empate, e aos 37 minutos numa roubada de bola, na saída do Flamengo, Junior Viçosa passou a bola para o lateral Vitor que empatou o jogo, no entanto, nem deu tempo para as comemorações, o Flamengo passou à frente do placar, com Chicão, cobrando falta, após uma marcação equivocada do árbitro, que inverteu a falta. Inferiorizado no placar, o time goiano terá que vencer a próxima partida, por uma diferença de dois gols, ou fazer 3×2, em diante. A vida é assim mesmo, temos, às vezes, que juntar competência com a sorte e ultrapassar as tempestades.


Artigos, Esporte

Comentário(s)